Mês: Abril 2014

Com.Versando! com D’almarcio

Publicado em Atualizado em

Caminhas lindas por ai, 
compartilhando com as flores teu perfume.
Caminhas por ai,
em um leve revoar tal qual os pássaros.
Caminhas suave e solta, pois tu és “brisa”!

????????

D’alma.

UnderSkateRapGround Com Paulo Black

Publicado em Atualizado em

Marco Polo e um Canadence que começou sua carreira em 1999, quando comprou uma mpc com o dinheiro de um empréstimo para estudantes, depois se mudou para New York no ano 2000 para iniciar uma bem sucedida carreira como produtor de rap, alias ele e um dos mais procurados para produzir batidas no meio do rap underground, Marco Polo afirma que sua maior influencia e o Dj Premier ,a intenção do Marco Polo é permanecer no top dos produtores de rap underground, para quem não se lembra o Marco Polo já passou pelo blog La onda family no album em conjunto com o Hannibal Stax do ano passado dessa vez resolvi dar um foco melhor nesse produtor pesadíssimo. Baixem o album new port authoryt 2 e sintam o peso.

ENTREVISTA DA SEMANA

Publicado em Atualizado em

Salve rapa

Correria pura mas to conseguindo manter esse blog em atividade junto com os colaboradores, nada fácil mas essa é a vida de quem ama a arte de quem ama o HIPHOP, mas “vamo que vamo” que a vida é essa batalha diária e vocês estão batalhando?Espero que sim e lembre-se nunca desista dos seus objetivos, e por falar nisso esse mano é bem um exemplo disso que acabei de falar, eu ja conheço ele também, no tempo que eu trabalhava na TV TEM Sorocaba, fiz uma matéria com ele, ele foi o Dj da batalha do conhecimento  em São Paulo é a batalha que o Mc Marechal do Rj que organiza, bem mais isso é historia para outro dia, leia e conheça a historia desse guerreiro e samurai do HIPHOP Zap-San.


 

Imagem

Como surgiu o HIP-HOP na sua vida?

 

Bem na faze de infância mesmo, eu tinha de 10 pra 11 anos ali em 1997/1998

Me simpatizei pelo movimento, comecei com o break aprendi e me destaquei dentre várias outras atividades. Mas me senti envolto mesmo, ao conhecer o clássico disco “sobrevivendo no inferno” dos Racionais Mc’s ali senti necessidade de primeiro decorar letras como “Capítulo 4, Versículo 3” “Diário de um detento” “Mágico de OZ” e vários outros clássico pesados que o disco carregava,, Depois a necessidade já era outra, fazer aquela música tão complicada e tão cheia de qualidades de pensamentos! Embarquei numa aventura de composições onde misturei boas doses de inocência e dedicação! Me lembro de coisas bizarras, mas também me lembro de ter enfrentado meu primeiro palco, ali mesmo, ainda com 11 anos de idade ! desde então nunca mais parei! Acabaram vindo, vários novos aprendizados e fui me prendendo e pegando cada vez mais, gosto pela coisa!

 

Como foi o processo do álbum “A importância disso” e quanto tempo você levou para vir lançar a publico?

 

Demorado, mas ao mesmo tempo caprichado. Da forma em que eu realmente queria apresentar isso pras pessoas, sabe?

Desde lá em 2010, quando surgiu a ideia de desenvolver o disco solo, sempre priorizei a qualidade, nunca me preocupei com outros fatores. Eu só queria estar bem comigo mesmo quando decidisse disponibilizar isso pras pessoas. Encarei isso como um presente para o movimento. Então não podia ser de qualquer jeito. Via vários manos pondo os  trampos na rua, e com muita vontade de já poder  disponibilizar o meu trabalho também, mas o perfeccionismo me limitou ao extremo. Então vim montando tudo cuidadosamente, para deixar um bom legado e um bom presente ao movimento ao qual eu tanto militei. Nesse cuidado todo, conseguimos diversificados temas, assuntos, participações especiais, instrumentais e etc… No fim fiquei satisfeito de ver tanta gente envolvida no trabalho! Gente que ou era muito amigo ou muito ídolo. Variamos nosso repertório de Gilponês, um grande amigo, até Nelson Triunfo que é o maior ícone da nossa cultura Hip-hop aqui no Brasil!

Porque do vulgo Zap-San?

Então mano, Zap, era um apelido já dessa época de infância, e eu usava como vulgo de MC, motivado por eu gostar muito de truco, pra quem não tá ligado, nesse jogo ele é a carta mais forte, já rolava um significado interessante nisso, mas mesmo assim, ainda muito óbvio, sempre achei que precisava de um complemento, mas nunca me vinha uma boa ideia.

Até o destino me colocar no Japão numa temporada de 2 anos, período de 2007 a 2009, em que fui a trabalho, nesse período, automaticamente me tornei o Zap-san, pois lá o complemento para qualquer nome, é “San”  então no trabalho para os japoneses eu era o “Paulo san”, na rua  com os amigos e parceiros mais próximos, “Zap-san”! Eis que eu gostei da forma em que soou essa junção, e achei o tão procurado complemento para o vulgo! Adotei, desde então, se firmou como pseudônimo artístico!

E ai mano como funciona seu processo de criação da suas letras e depois dos beats, todos os beats do album são seus?

Imprevisíveis, todos sem regras, e num ritual de concentração extrema!

Creio que seja fácil seguir o clichê para elaborar músicas. Então minha luta pra escrever uma letra, é fugir do óbvio! Gosto inclusive de fazer pesquisas e estudos pra enriquecer ainda mais as composições, assim como fizemos nos exemplos “Lei Áurea” e “Enquanto a chuva cai” me vi ali numa busca incessante de informações para concluir em cima das batidas, tais ideias e temas.

Já nos beats, sigo também uma concentração e vou criando linhas de instrumentos por instrumentos, nunca sei no que vai se transformar rs, mas vou alimentando timbre por timbre na maioria das vezes tocados para obter os melhores resultados possíveis. Não tenho formação musical alguma, não toco nenhum instrumento, mas agradeço a Deus por ter nascido com bom gosto rs. E no fim, acabo me encantando com os resultados!

 

E que o produtor Zap-San ja produziu?

 

Tive a honra de colaborar em 2 faixas nos duas ultimas “mixtapes” do Projota. Primeiro, na faixa 9  “Ordem e desordem” da mixtape “Não há lugar melhor no mundo que o nosso lugar” em 2011 e a mais recente mixtape “Muita Luz” na faixa 07 “ Mundo dos Loucos” com participação especial também de Filip Ret.E muito orgulho também de produzir os irmãos da minha quebrada Sorocaba, como Wiu Memo, Stga, X da Questão e outros!

 

Quais suas referencias musicais?

Motivado pelo fato de ter conhecido o Rap muito cedo, minhas referências são limitadíssimas em Rap. Então Vai:

Racionais, Sabotage,  Rzo, Rashid, DMN, Xis, Inquérito, Emicida, Apocalipse 16, Kamau, Marechal, Projota.

Na gringa, o glorioso Thupac, B.I.G., Dmx, Xzibit, Nas,Wu Tang, e mais uma rapa do bem aí!

 

E como anda a cena de rap de Sorocaba?

Forte, um movimento rico em artistas e militantes. Mas ainda acho precisamos emplacar mais nomes a cena do Rap nacional.

A vida de um militante do HIPHOP é facil Zap – San?

Deixa estar né, meu mano?  Deve ser difícil até pra quem escuta  Rap. Nego descrimina tudo, Imagina pra quem levanta essa bandeira diariamente, divide o tempo da família, do trabalho com uma causa que muita gente não respeita. Num país onde a “bunda” manda. Onde suas pesquisas e caprichos, não valem comparados a músicas fáceis e criáveis em qualquer chuveiro como “lepo lepo” “beijinho no ombro” e outras do tipo. O Brasil não exige nem coisas importantes como saúde e educação, quem dirá que os mesmos se importarão com a cultura num modo geral, muito menos com a cultura Hip-hop. Portanto deixo em alerta! Isso é pra quem ama! Mas entenderei quando algum dos que ama, também abandonar esse barco. Só mente a causa é Nobre, e as dificuldades são inúmeras.

 

Defina Zap-San em uma so palavra?

AUTODIDATA

Sempre  fazemos esta pergunta porque sabemos que pra todos existem um começo, mande uma mensagem para quem esta começando agora no HIPHOP?

Pode vir. Você é bem vindo, meu mano, mas não se ilude não, aqui a luta é infinita. Os bling bling que você viu nos clipes norte americanos só não são impossíveis porque nada nesse mundo é, portanto, chega no sapatinho, e nos ajude a segurar esse mastro pesado dessa bandeira que levantamos há tantos anos!

Manda uma mensagem ai para toda nossa family do blog e para nossos leitores?

 

Obrigado geral aqui do blog, pelo interesse no trabalho e pelo espaço cedido para que as ideias se proliferem, Afinal, fazer com que a mensagem se propague é realmente “A IMPORTÂNCIA DISSO”

 

Deixa sua agenda de eventos aqui para nos?

Dia 18/05 Lançamento oficial do Álbum aqui na cidade de Sorocaba, No Sound 2 com venda do CD Físico.

 

Link:

[youtube.com/watch?v=aBz6_oA2bqk]


 

Salve rapa o mano é zica pura né não, bem meus manos e minas se na semana que vem o blog ficar desatualizado tenho um motivo bom para que isso ocorra, é que esse mes de Abril vou ser papai, então vou ficar meio “fora doa ar”, pois serei marinheiro de primeira viagem e vou querer curtir os primeiros momentos com a minha mulher e minha pequena Nina, vou nessa e não se esqueça você é do tamanho do seu sonho, nunca desista dos seus objetivos pois temos uma geração nova nascendo ai e não podemos desistir de deixar um mundo belo e melhor para eles.

Paz

 

Kaju – um futuro papai babão.

 

 

Com.Versando! com D’almarcio

Publicado em Atualizado em

Creio eu que o homem vêm ao mundo, chora , esperneia e deve indagar-se: _Que mundo é esse?

Imagem via google
Via google

Hoje em razão ao caminho que a humanidade ruma-se, o homem em seu ultimo suspiro repete-se sua indagação seguido de indignação: Que mundo é esse?

D’alma.

UnderSkateRapGround Com Paulo Black

Publicado em Atualizado em

Salve galera hoje o assunto e o pesadíssimo Method Man e sua nova mixtape nervosa ,Iron Lung toda produzida pelo Dj Lennox ,essa mixtape trás vários sons do Method mixados e versões ao vivo de musicas dele ao total são 60 musicas uma espécie de retrospectiva da carreira do artistas, mas com as musicas com uma cara nova. Method Man dispensa comentários e muito conhecido e cultuado pelos skatistas e admiradores do rap pesado no mundo inteiro e um verdadeiro mito do Wu tan Clan ,alem de ser fascinado por quadrinhos e também ser produtor de rap ele participou de filmes e series americanas. O nome verdadeiro de Method Man é Clifford Smith, ele tirou esse nome Method Man para usar na sua carreira de rapper, de um filme americano do ano de 1979 Fearless Young Boxer. Baixem essa mix tape Iron Lung do Method Man aqui no blog que ta pesadíssima.
Imagem
 
 
 
 

ENTREVISTA DA SEMANA

Publicado em Atualizado em

Salve rapa começando mais um “entrevista da semana” e o nosso interior de Sampa esta sempre bem representado de manos e minas que correr me lutam diariamente para passar a informação certa para muitos manos e minas que necessitam dessa mensagem, tem que ter conceito acima te tudo para falar sobre os males da humanidade onde ganância,ódio e desamor assola a nossa periferia que tanto luta para ser feliz em meio a esse caos vem esse novo grupo de rap que esta mostrando porque veio a publico mostrar que realmente “o rap é compromisso” como dizia o nosso saudoso Sabotage, se liga ai rapa apresento pra vocês o grupo de Rap de Sorocaba “AUTOCONCEITO”:

Foto por Raquel de Arruda
Foto por Raquel de Arruda

Como Surgiu o grupo Autoconceito ?
O Autoconceito surgiu em meados de 2005, quando eu, Vinícius Mano, vi minhas parcerias não darem certo na tentativa de cantar Rap, então me vendo sozinho pensei em um nome de grupo que falasse sobre isso. Repensando minha posição como ser humano e minhas propostas musicais entendi que AUTOCONCEITO era a base de qualquer grupo de Rap, ao qual primeiro se busca o entendimento do “Eu” para depois planejar as intervenções. E em 2013, nos conhecemos e resolvemos dar esse novo formato ao Autoconceito, agora com dois integrantes e com foco na profissionalização do trabalho.

E nos conte um pouco da sua caminhada no Rap Vinícius?

Envolvi-me com a Cultura Hip-Hop logo cedo, quando aos 9 anos de idade tive contato com o disco do Racionais MC’s “Sobrevivendo no inferno”. Ali já se alicerçava algo grandioso que logo converteria na tentativa de praticar Street Dance, o que foi abandonado no momento em que percebi a ausência deste talento (risos).
Fui somente um admirador, quando em 2004 comecei minhas primeiras rimas e me tornei (ou me tornaram) Porta Voz de uma Crew chamada Evolução H2, dando meus primeiros passos reais através de eventos regionais que envolviam toda a Cultura e o Movimento Hip-Hop. Tudo isso em minha cidade natal, Capão Bonito- SP.
Somente em 2010 fiz minha primeira apresentação como rapper, já como Autoconceito e ainda solo, porém focando como singular esta vertente que continuo exercendo até o presente momento.

 

E você também Fernanda Teka como você começou a curtir rap e como foi seu primeiro contato com o HIPHOP?

Aos 12 anos já ouvia um pouco de Racionais MC’s e Sabotage. Aos 13, ainda sem conhecer sobre a cultura, apenas por gostar de desenhar, imercei no graffiti e foi a partir desse momento que passei a entender que fazia parte de um movimento. Conheci pessoas envolvidas na cultura e, nas rodas de freestyle com os amigos, a paixão pelo Hip Hop cresceu. Então o Rap começou a fazer parte da minha vida em 2002. Sempre gostei de escrever e brincar com as palavras, aí a rima era um novo desafio. Aceitei (risos)! Escrevi músicas, participei de alguns grupos, cantei sozinha… Dos 16 aos 18 anos fui integrante de um grupo de dança de rua. Fiquei 4 anos sem cantar Rap e hoje, aos 26 aos, retomei com o Autoconceto.

Nos conte como foi todo a trajetória  para sair esse novo trampo de vocês?
Este trabalho, cujo estamos finalizando, será o lançamento do primeiro disco do Autoconceito e se chamará “Épico”. Épico porque será um grande acontecimento para o grupo e em nossas vidas, o que para nós se torna histórico e também estará narrado em versos, no caso, as rimas do Rap. O disco está todo sendo gravado com o ex- B.Boy, atual Beatmaker, Rapper e Produtor Zap-San, no Estúdio PixoFio; Tendo a masterização feita em outro estúdio, também em Sorocaba o JCP Estúdio. Contando com as participações de Rebeld (SNJ), Visel MC (Família RZO), Zap-San, Mano Tchelo, Apelidado Bob, ZH à Resistência, Fábio Gaspar e, em uma das faixas, os acordes do multi-instrumentista Beto Corrêa.
Com os antigos trabalhos, ambos tinham músicas escritas, mas resolvemos deixar todas de lado e começar a escrever do zero. A única música já existente que virá no disco é a “De Mercedes, de Mãe”, pois através dela ganhamos o patrocínio inicial, as demais são todas inéditas.

Fernanda nos conte sobre a canção “De mercedes de Mãe”?
É uma homenagem a “mulher da minha vida”, não com a grandeza que ela merecia, mas com todo amor que meu coração conseguiu traduzir. A música conta um pouco da luta que tivemos contra o câncer. Eu, filha única de mãe solteira, aos treze anos de idade recebi a notícia de que minha mãe estava com câncer de mama. Foram 10 anos de batalha, força e cumplicidade. A doença metastaseou e ela faleceu em julho de 2010. Em janeiro de 2011, quando a dor já havia diminuido e a saudade aumentado, escrevi essa canção para compartilhar meu sentimento com quem pudesse ouvir.

Veja o video clipe:

[youtube.com/watch?v=xZ205YiBg4Y]

 

Quais as referencias musicais de vocês?
Vinícius Mano: Minhas principais referências dentro do Rap são sempre atualizadas, mas sem esquecer o que me inspirou e se tornou uma base eterna são Racionais MC’s, Facção Central, Face da Morte, RZO, Realidade Cruel, GOG, Expressão Ativa, VadiosLocus, Sabotage, Visão de Rua, 509-E, entre outros também que provavelmente esqueci de relatar, pois são muitos. Ouço bem pouco (talvez um erro) os Norte Americanos, mas me embaso em 2Pac, Notorious B.I.G., Eminem, X-Zibit, Ice Cube, etc.
Num contexto geral, como bom interiorano paulista ouço muita música sertaneja e outros estilos filtro bastante, mas gostaria de citar e recomendar aos leitores do blog um cara chamado Vander Lee, vale a pena conferir.

Fernanda Teka: Além dos mestres já citados pelo Vínícius, tenho referências femininas como Dina Di, Negra Li, Negga Gizza, Cris (SNJ), entre outras. De internacional, Lauryn Hill.
Sou fã da música popular brasileira e suas vertentes como o forró pé de serra, por exemplo. Ouço muito de Maria Rita, Elis Regina, Clara Nunes, Roberta Sá, Céu, Chico Buarque, Gilberto Gil, Lenine, Domiguinhos, Luiz Gonzaga e por aí vai…




O que vocês estão ouvindo de musica atualmente?
Vinícius Mano: atualmente ouço vários rapper’s que ganharam destaque neste novo cenário como Projota, Rashid, Henrique Fuentes, Inquérito, MC Marechal, BellaDona, Amiri, Flow MC, EMICIDA, Criolo, Oriente, Éfeso, Estratagema de Deus, etc (sendo que muitos também são “da antiga”). Porém sempre ouvindo os que surgem e os já citados, dentre outros com mais anos de caminhada.
Fora do Rap continuo ouvindo música sertaneja, hoje exploro também um pouco mais de Zé Ramalho, Raul Seixas e diversas outras sugestões que me chegam.

Fernanda Teka: Concordo e também gosto bastante do trabalho de Lívia Cruz, Flora Matos, Karol de Souza, Larissa Luz. Fora do Rap, além dos já citados da MPB ouço muito Los Hermanos, Mallu Magalhães, Pitaganga em Pé de Amora, Jorge Ben, Maurício Baia. Gosto de música aternativa, que faz a gente raciocinar pra entender a mensagem (risos).

Sempre fazemos esta pergunta porque sabemos que pra todos existem um
começo, mande uma mensagem para quem esta começando agora no HIPHOP?
Vinícius Mano: Frequente, troque experiências, assista, escute, leia, filtre! Depois disso comece a pensar em querer agir.
Fernanda Teka: Dedique-se. A dedicação exige tempo, observação, cautela, pesquisa. É importante dar um passo por vez e avaliar cada passo. E sonhe. O sonho dá o gás que a caminhada precisa para cada vez querer fazer melhor.

Manda uma mensagem ai para toda nossa family do blog e para nosso leitores?
Vinícius Mano: Um forte abraço e desejo de sucesso a todos que acompanham este trabalho. Parabéns por serem adeptos da leitura num mundo tão “avançado”.
Filtrem! Busquem os bastidores de tudo o que gostam de acompanhar…
Fernanda Teka: Ô, gente boa! Parabéns pelo trabalho! Incentivar a leitura e troca de experiências é fantástico. Considerem-se educadores. Tem um escritor que diz: “Use não só a inteligência que tem, mas também toda que puder tomar emprestado”. Estão no caminho! Um abraço e muita vida pra vocês!

Deixe seu desabafo ao que te incomoda, e exponha pra geral!
Vinícius Mano: Todo o tipo de injustiça e covardia, feita direta ou indiretamente.
Fernanda Teka: Falta de verdade e a supervalorização do que é supérfluo. Todas essas coisas só regridem a humanidade.

Defina Vinicius Mano em uma so palavra?

Complexo.

Defina Fernanda Teka em uma so palavra?

Desprendida.

 

Site do grupo Autoconceito:

www.grupoautoconceito.com

 


Valeu rapa do Autoconceito, vocês são zicas e irão muito longe e propagando o nosso HIPHOP pra geral, essa é a chave informar e resgatar e tenho certeza que vocês ja estão resgatando vários manos através das mensagens que vocês passam, e rapa continuem curtindo o nosso blog e também a nossa fanpage, estamos com mais curtidas agora no facebook graças a propaganda boca a boca e face a fece são vários manos e minas que estão lendo nosso blog e se atualizando com as noticias no nosso face, paz a todos e ate semana que vem, se o nosso bom Deus permitir.

 

Paz e Luz a todos.

 

Kaju – L.O Family


 

Com.Versando! com D’almarcio

Publicado em Atualizado em

Enquanto os hipócritas e gananciosos que julgam-se normais, imaginam encontrarem um pote de ouro no fim do arco-íris, os loucos esperam encontrarem apenas potes de cores.
Tem coisas que só os loucos sabem!

Imagem via google
Imagem via google

D’alma.